Quais são as tendências do varejo farmacêutico e como se preparar para elas?

Varejo farmacêutico
7 minutos para ler

Você conhece as principais tendências do varejo farmacêutico para os próximos anos? Mesmo que pareça ser cada vez mais difícil acompanhar as novidades do setor por conta da velocidade em que as coisas acontecem na sociedade, é importante conhecer o que está em alta para que seja possível se preparar para as mudanças.

O mercado farmacêutico no Brasil é um dos mais importantes e, com o avanço da tecnologia, tende a trazer diversas tendências novas relacionadas ao setor de tempos em tempos. Por esse motivo, neste post, reunimos as principais para que você as conheça e comece a implantá-las na sua empresa. Confira!

Comunicação e jornada digital

Em um mundo cada vez mais digital, todas as pessoas podem se tornar comunicadoras, principalmente para dividir suas experiências. Sendo assim, elas exercem uma influência cada vez maior sobre as decisões de compra de outros clientes. Essa é uma tendência para o varejo farmacêutico também.

Além disso, com o fator da tecnologia cada vez mais avançada, a tendência é que haja menos atrito em toda a jornada de saúde dos pacientes, o que inclui todas as compras e os serviços prestados dentro da farmácia. Com isso, é possível que a comunicação entre as partes envolvidas seja mais facilitada por meio da integração de sistemas com inteligência artificial e seja feita antes mesmo de um cliente se dirigir até a farmácia ou centro de saúde.

A força do e-commerce

Não é novidade que o e-commerce cresce em um ritmo acelerado, inclusive no varejo farmacêutico.

Para atender bem essa demanda, é preciso atenção. É necessário ter uma estratégia digital bem definida e utilizar todos os dados relevantes coletados de forma online como um meio de aprofundar ainda mais o relacionamento com o cliente em todos os pontos de contato — independentemente se são físicos ou não.

Serviços farmacêuticos

A inclusão de serviços nas farmácias que, até o momento, comercializam apenas medicamentos e alguns produtos de conveniência é uma das novidades que estão por vir. Exames para diabetes e colesterol, além de programas de saúde para perder peso ou mesmo parar de fumar.

Chegou-se ao consenso de que focar na saúde é mais importante e vai muito além do simples ato de vender medicamentos. Esses serviços farmacêuticos, então, podem ser a porta de entrada desse grande movimento que está mudando a farmácia brasileira e de outros países. A tendência é que as empresas incorporem essa nova filosofia e reorganizem seus negócios.

Prescrição eletrônica

A prescrição de medicamentos em papel escrito à mão pode acabar. Isso porque esse método suscetível a erros que podem causar danos gerais, custos mais elevados para a saúde e, em último caso, até mortes.

Por esse motivo, a prescrição eletrônica é uma solução para evitar erros — além de facilitar a vida dos pacientes. Ela é nada mais que uma receita médica digital com informações padronizadas e compartilhadas em rede que são acessadas pelo número do CPF do paciente.

Maior poder na mão dos clientes

Os pacientes, principalmente os mais jovens, não têm uma postura mais passiva, como costumava acontecer antigamente. Se, antes, o centro da saúde estava voltado para o médico, atualmente volta a ser quem está sendo atendido. Dentro da própria medicina, esse movimento é tratado como a medicina centrada no paciente.

O que tem sido visto ultimamente é uma vontade em grande parte dos clientes de que também participem da decisão final sobre quais medicamentos tomarão. Sendo assim, também é preciso que os esforços do varejo farmacêutico estejam de acordo com essa tendência e que sejam centrados em atender o que o paciente quer e o que precisa.

Nanotecnologia

Alguns avanços da ciência e da tecnologia, como o desenvolvimento e a produção de partículas em escala de nanômetro — ou nanopartículas — permitiu ao segmento farmacêutico grandes possibilidades. Entre elas, a capacidade de alcançar seu local de ação, que no caso são as camadas mais profundas da pele humana.

Nesse caso estão as partículas fotoprotetoras, que são responsáveis por prevenir o câncer de pele. Essas nanopartículas já vêm sendo utilizadas no segmento farmacêutico há um tempo com fins profiláticos e terapêuticos e, cada vez mais, é vista como uma das maiores tendências do varejo farmacêutico — que, ao que parece, veio para ficar.

Telemedicina

Nos últimos tempos, principalmente por conta da pandemia do novo coronavírus, o atendimento remoto já é uma realidade. Seja realizado por vídeo ou por chat, essa também é uma das tendências para se consolidar no mercado.

A prática é legalizada e se dá pela Resolução CFM 1643/2002. Com essas possibilidades, o farmacêutico clínico se torna, então, um dos profissionais mais aptos a solicitar — e a acompanhar — consultas médicas para o paciente junto ao ambiente em que trabalha, seja em uma clínica de saúde, farmácia ou hospital.

Crescimento da atuação dos farmacêuticos

Diversas variantes, nos últimos tempos, mostraram — e ainda mostram — que os farmacêuticos estão voltando a ser mais protagonistas no ambiente da saúde, que inclui as farmácias e drogarias. Entre elas, é possível citar a aplicação de vacinas, testes de glicemia, prescrição farmacêutica e acompanhamento do tratamento do paciente.

Com isso, a indústria tem, nesses profissionais, aliados para a entrada de medicamentos nas farmácias que podem, de fato, satisfazer a demanda do local. Por esse motivo, é extremamente importante estar de olho no varejo farmacêutico, além do fato de que, com poucos lançamentos de medicamentos pela indústria em questão, o momento atual está mais propício para focar nos pontos de venda.

Gerenciamento por categorias

O modo como as farmácias fazem a organização das gôndolas está mudando em função das parcerias entre os fornecedores e os varejistas. Sendo assim, é possível afirmar que o gerenciamento de categorias é uma solução para a organização desses pontos de vendas.

As categorias passam a ser vistas pela ótica da necessidade dos consumidores e separadas de acordo com ela. Cada uma, então, é gerenciada como se fosse uma unidade estratégica do negócio — tudo para aumentar ainda mais as vendas e, consequentemente, maximizar os lucros.

Agora que você já sabe quais são as principais tendências do varejo farmacêutico, fica mais fácil se preparar e se adaptar para implementar cada uma delas. É preciso, porém, continuar acompanhando o que surge de novidades no setor para não se prejudicar por conta da desatualização. Para isso, procure acompanhar canais de conteúdo sobre o assunto, como este blog!

Gostou deste conteúdo? Quer saber mais sobre o assunto ou descobrir como podemos ajudar sua empresa? Então entre em contato conosco e conheça todas as nossas soluções!

Cases de sucesso Simplus
Você também pode gostar

Deixe um comentário