Quais produtos de conveniência têm a venda permitida em farmácias?

Produtos de conveniência
6 minutos para ler

É muito provável que você já tenha encontrado produtos de conveniência em farmácias, principalmente nas grandes redes. Você está pronto para passar no caixa e encontra uma série de itens que podem ajudar a matar a vontade de consumir algo doce ou refrescar o hálito.

Essa prática é uma estratégia interessante para aumentar o ticket médio e o faturamento nas vendas. Porém, é preciso saber quais produtos podem ser vendidos, para não gerar problemas.

Leia o post até o final para entender melhor o assunto!

Afinal, pode vender produtos de conveniência nas farmácias?

Farmácias e drogarias, por definição, prestam serviços de saúde e, pela legislação sanitária, são autorizadas a vender insumos farmacêuticos e medicamentos.

De acordo com a lei 5.991/73, esses estabelecimentos se encaixam no conceito de drugstore, que comercializam diversas mercadorias, principalmente produtos de primeira necessidade.

Porém, vale a pena manter o bom senso para não descaracterizar o local.

Quais produtos podem ser vendidos?

Entre os itens liberados para venda em farmácias, podemos citar:

  • compostos vegetais;
  • plantas medicinais;
  • produtos para diagnóstico in vitro para autoteste;
  • produtos médicos que possam ser utilizados por leigos em ambientes domésticos;
  • mamadeiras, chupetas, bicos e protetores de mamilo;
  • lixas, cortadores, alicates e palitos de unha;
  • lâminas para barbear e barbeadores;
  • essências para aromaterapia;
  • alimentos para grupos específicos, como lactantes, crianças, idosos e gestantes;
  • alimentos para dieta;
  • suplementos alimentares;
  • chás;
  • própolis;
  • mel;
  • chocolates, doces e sorvetes, desde que regularizados pela Anvisa;
  • pilhas, desde que regularizadas pela Anvisa;
  • bebidas sem álcool, desde que regularizadas pela Anvisa.

Como otimizar as vendas?

A comercialização de produtos de conveniência é uma boa estratégia para aumentar o ticket médio de vendas, conseguindo assim um bom faturamento e, de quebra, ajudando o cliente em alguma necessidade ou desejo de última hora.

Não é à toa que boa parte desses itens ficam próximos do caixa de pagamento, aproveitando justamente um momento de impulso para oferecer aquela mercadoria de baixo custo, mas que pode ajudar em determinado momento, e que o consumidor possa ter esquecido enquanto fazia a compra.

Porém, vale a pena investir em outras ações para estimular as vendas. Destacamos as principais.

Desenvolver um programa de pontos

O programa de pontos é uma boa estratégia de fidelização dos clientes, principalmente se levarmos em consideração a grande concorrência que as farmácias enfrentam.

Essa ação também estimula o cliente a gastar um pouco mais, a fim de aproveitar as vantagens oferecidas pelo programa.

Para instituir a contagem no seu estabelecimento, vale a pena investir em algum sistema capaz de acumular os pontos e que, preferencialmente, possa ser consultado pelo cliente por meio de login e senha, em ambiente web.

Realizar campanhas sazonais

Datas comemorativas também são uma importante isca para aumentar as vendas. Além das mais tradicionais como Natal e Páscoa, vale a pena aproveitar outras menos divulgadas, mas que também podem gerar oportunidades interessantes, como o Dia do Idoso, Dia do Médico, Dia dos Avós, etc.

É preciso se programar com certa antecedência, mas realizar campanhas sazonais aproveitando essas comemorações podem atingir públicos mais nichados e aquecer períodos de baixa nas vendas.

Aproveite para caprichar na divulgação dessas campanhas, com ações de marketing pela internet e também offline, como faixas e displays na farmácia.

Conte com profissionais capacitados

É normal que boa parte dos clientes tenham dúvidas em relação ao uso de determinados medicamentos, troca por genéricos, uso de insumos naturais para ajudar em tratamentos mais brandos (como sprays de própolis para a garganta, por exemplo).

Considerando essa necessidade, vale a pena contratar bons profissionais com o conhecimento necessário, além de investir em treinamentos para melhorar o atendimento.

Pessoas capacitadas técnica e emocionalmente passam confiança ao consumidor e conseguem estabelecer um relacionamento, fidelizando o comprador.

Crie um PDV agradável

Um ponto de venda com boa iluminação, bem organizado, e que tenha um bom clima entre as pessoas cria a situação ideal para que o consumidor fique à vontade e compre um pouco mais, ou retorne ao estabelecimento e indique para os conhecidos.

Para isso, aposte em prateleiras bem organizadas, utilizando técnicas de gerenciamento de categorias e share de gôndola, para disponibilizar os produtos de maneira estratégica, chamando a atenção para promoções.

Um fechamento de compra cordial, colocando-se à disposição para solucionar outras dúvidas que possam aparecer, também faz a diferença para aumentar as vendas.

Trabalhe o cross selling

Outra estratégia interessante para aumentar o valor de vendas é praticar o cross selling. Mas, o que significa isso? Consiste na sugestão de produtos que possam complementar a compra, aumentando o ticket médio.

Um exemplo: quando você vai pedir um lanche, é normal o atendente oferecer uma porção maior de batatas ou uma sobremesa. Isso é uma utilização prática de cross selling.

Em uma farmácia, para um cliente que comprou esmaltes, é possível oferecer algodão e acetona. Se o consumidor está levando um shampoo de determinada marca, mostre também o condicionador ou a máscara de tratamento. Procure pensar no que poderia complementar a venda. Essa pequena oferta faz uma grande diferença no faturamento do mês.

Utilizar uma ferramenta de cadastro de produtos

Os clientes podem decidir por vendas online e contar com o sistema de entrega da rede, ou apenas consultar os produtos e fazer a retirada na loja física.

Para ambas as situações, é importante contar com um site que tenha todas as informações, como laboratório, posologia, tamanho da embalagem, quantidade de comprimidos, apenas para citar alguns dados importantes.

Você pode utilizar uma ferramenta de cadastro de produtos, que faça esse trabalho de maneira confiável, além de disponibilizar fotos de alta qualidade. Basta integrar os dados ao site da sua farmácia e oferecer uma compra mais segura para o cliente.

Ficou mais claro quais produtos de conveniência podem ser vendidos na farmácia e como eles podem ajudar a aumentar as vendas? Além da oferta desses itens, apostar em técnicas que estimulem o consumo são boas ações para promover o crescimento do negócio.

Essas informações ajudaram você? Assinando a nossa newsletter, você receberá atualizações e avisos sobre novas postagens no seu e-mail!

Cases de sucesso Simplus
Você também pode gostar

Deixe um comentário