O que é a gestão de produtos? Saiba como fazer!

6 minutos para ler

A gestão de produtos é fundamental para a competitividade e a sustentabilidade do negócio. Ela alia detalhes como o ciclo de vida com informações sobre o mercado e os usuários, permitindo o melhor aproveitamento de cada fase.

No entanto, nem sempre essa atividade é vista em toda a sua abrangência e importância, limitando os resultados. Para aproveitar todo o potencial dessa importante ferramenta estratégica, continue a leitura!

O que é a gestão de produtos?

A definição de gestão de produtos é uma dúvida muito comum. Por isso, começar com a descrição desse conceito é o melhor caminho para facilitar o entendimento do assunto.

Antes de tudo, considere que o termo pode ser aplicado de modos diferentes na indústria manufatureira e na de software, por exemplo. Até mesmo empresas de um mesmo segmento podem atribuir diferenças pontuais na forma como administram produtos, de acordo com suas estratégias e objetivos.

Ainda assim, de modo geral, podemos partir da seguinte definição: um conjunto de práticas, ações, estratégias e metodologias aplicadas aos produtos que envolvem planejamento, orçamento e divulgação. Essas aplicações têm como objetivo impulsionar e melhorar continuamente o desenvolvimento, divulgação e aprimoramento dos itens produzidos.

Em razão dessas características, é comum que a gestão de produtos seja confundida com a comunicação ou o lançamento do produto no mercado. No entanto, essas tarefas são partes complementares da atividade de administrar produtos. Importantíssimas, mas que não definem por completo o que faz um gestor de produtos. Basicamente, esses profissionais:

  • pesquisam: buscando conhecer o mercado;
  • planejam estratégias: um plano detalhado de desenvolvimento, com objetivos, metas, modelos de controle e orçamento detalhado;
  • engajam os participantes: um bom plano vale muito pouco enquanto está no papel, por isso é preciso que ele seja divulgado entre os envolvidos;
  • coordenam a execução do plano;
  • analisam e aprimoram: com base em dados e indicadores, inclusive de usuários.

Essas explicações ajudam a entender o conceito, mas ainda precisamos reforçar uma característica, que é a abordagem altamente estratégica da gestão de produtos. Isso significa que essa atividade não implica no envolvimento direto com as tarefas operacionais de produção.

A necessidade de saber avaliar aspectos como o ciclo de vida dos produtos é um bom exemplo da importância estratégica dessa atividade. Saber identificar se um item conta com um mercado em crescimento, maduro, em declínio ou em fase de introdução é fundamental para a tomada de decisão e o comprometimento das equipes envolvidas na gestão de produtos.

Quais as boas práticas de gestão de produtos?

Para esclarecer ainda mais o que é a gestão de produtos e oferecer dicas fundamentais para ter sucesso nessa atividade, relacionamos algumas das práticas que merecem toda a sua atenção. Elas não foram listadas para serem usadas como um passo a passo para a gestão de produtos, mas sim para chamar atenção para os pontos principais que você deve considerar. Vamos a elas?

Considere a experiência do cliente

O grande incentivo para que as trocas aconteçam no mercado, principalmente no volume ideal, é o valor entregue por meio do produto, de seus atributos e dos serviços agregados a ele. Um valor superior diferencia a empresa no mercado e fideliza o cliente, que compra continuamente ao perceber que se beneficia com isso.

É em razão dessa importante constatação que a gestão de produtos parte da oferta de benefícios que atendam — preferencialmente superem — as expectativas, necessidades e desejos do consumidor, que se manifestam de modo amplo na experiência de compra e uso.

Use dados confiáveis

Não basta pensar no cliente e deduzir os desejos dele. É com base em dados detalhados, precisos, atuais e confiáveis que podemos elaborar sistemas capazes de agregar algo de realmente especial e encantador para o consumidor.

Além de indicadores que refletam o grau de satisfação do cliente e a forma como ele se comporta, é preciso ficar atento ao mercado, especialmente na concorrência e nas métricas capazes de sinalizar alterações de estágio no ciclo de produto, por exemplo.

Faça testes constantemente

Boa parte dessas informações pode e deve partir de testes de mercado. Eles são importantes porque os levantamentos prévios e as pesquisas são insuficientes para prever todas as reações e resultados. Os testes revelam aqueles detalhes que ninguém pensou enquanto elaborava um produto ou serviço.

Esteja pronto para mudar

A abertura para a mudança depende de uma cultura interna que incentive a inovação, que estimule novas ideias e favoreça projetos. Em razão da variação de fases de ciclo, os produtos tendem a perder a viabilidade com o tempo e é fundamental saber a hora de mudar características e até de abandonar uma linha.

Engaje as pessoas e parceiros

Nada disso é possível sem as pessoas, que são a fonte da criatividade e da iniciativa. Os profissionais envolvidos ao longo da cadeia produtiva fazem toda a diferença quando se comprometem com os objetivos estratégicos. Portanto, essa é mais uma atividade da gestão que depende diretamente do bom exercício da liderança.

Considere a cultura e o clima organizacionais

A cultura interna e o clima organizacional também são aspectos que podem determinar o sucesso ou o fracasso de uma boa gestão de produtos, especialmente no que se refere à inovação. Empresas que punem os erros com muito rigor, por exemplo, operam em um ambiente no qual as equipes tendem a evitar ao máximo qualquer risco, que é algo que faz parte de toda iniciativa.

Incorpore tecnologia

A primeira tendência ao pensar na tecnologia é imaginar a contribuição que ela oferece para a automação, os processos e outros detalhes de característica mais operacional, mas também é preciso observar os ganhos estratégicos e da qualidade da informação compartilhada e gerida entre as equipes.

A sinergia esperada em toda a cadeia que envolve um produto, dos fornecedores aos distribuidores, depende fundamentalmente de um alinhamento que só pode ser alcançado por meio de plataformas seguras e funcionais.

Por fim, a importância da gestão de produtos pode ser facilmente percebida com base em sua abordagem altamente estratégica. Quanto mais a empresa puder usar a tecnologia e a automação para administrar as tarefas operacionais e gerar informação, mais fácil será manter o foco no que realmente importa para o sucesso do negócio: a competitividade.

E se esse for o seu momento de aprimorar esse aspecto do seu negócio, conte com a nossa ajuda. Entre em contato e confira o preparo de nossa equipe de atendimento.

Cases de sucesso SimplusPowered by Rock Convert
Posts relacionados

Deixe um comentário